Uberlândia respirará voleibol em 2020/21

MUNDO CULT

Redação
Fotos Divulgação

“Jogar sem torcida, com certeza, será uma novidade inusitada”

Com a participação do Dentil Praia Clube e do Azulim/Gabarito/Uberlândia, a cidade de Uberlândia terá grande exposição na Superliga Feminina e a Masculina de voleibol, dois dos mais importantes campeonatos de voleibol do mundo, excelente oportunidade para a divulgação de marcas, negócios e oportunidades locais, além de atrair investimentos econômicos e melhorar o desempenho da economia, e ainda, sem falar da importância do esporte na formação, recreação e paixão das pessoas. Paixão esta que foi bem incorporada pelos uberlandenses, que lotam os ginásios em dias de jogos, cantam e torcem muito, paixão que extrapolou ou limites do município, afinal o Dentil Praia Clube,  que disputará sua  13ª temporada trazendo na bagagem inúmeros  títulos e um elenco montado para conquistar outros, possui torcedores e fãs em quase todo o país. Trilhando no mesmo caminho da paixão, virá o Azulim/Gabarito/Uberlândia, que conquistou o acesso na última edição da Superliga B, e trará para a competição um elenco jovem, mas com muitos jogadores com passagens pelas seleções brasileiras juvenis. Porém, neste ano atípico, a realização das competições seguirá protocolos de segurança, visando impedir a transmissão da Covid-19, devendo, pelo menos a princípio, serem realizadas com portões fechados, condições novas e curiosas que despertaram a necessidade da Revista Cult em perguntar aos capitães das equipes se a Covid-19 afetaria o comportamento dos atletas em quadra e, ainda, como será jogar sem a presença da torcida.

Wal (Dentil Praia Clube)
“A pandemia nos ensinou e nos mostrou maneiras diferentes de comportamentos mais seguros. Nós, atletas, temos que levar todo esse cuidado para o dia a dia de treinamentos.

Temos que aprender com os torcedores a ter paciência e esperar a hora certa de encontrarmos novamente. Será, com certeza, mais um aprendizado desse novo tempo que estamos vivendo. Muitas vezes, os treinamentos nos preparam para vencer os momentos difíceis na partida. É no dia a dia que adquirimos confiança. O treino nos dá o suporte para termos resistência e paciência para reverter um momento difícil. O momento que estamos vivendo influenciou o mundo todo, mudando comportamentos e padrões, além de tudo que acreditamos até então, logo, não seria diferente dentro de quadra. São tempos delicados, contudo, acredito que foi possível – ainda é – tirar diversos aprendizados desta pandemia. Valores sociais foram resgatados e ressignificados e isso será transferido para o relacionamento entre atletas, clubes e dirigentes, além de que, com essa pausa “forçada”, os atletas de alto rendimento puderam dar um tempo, que ajudou a aliviar o estresse acumulado das temporadas anteriores. Mesmo sendo tempos complicados, estamos felizes em voltar a fazer o que amamos: jogar vôlei”, enfatiza.

Matheus Brasília (Azulim/Gabarito/Uberlândia)
“Jogar sem torcida, com certeza, será uma novidade inusitada.

Equipe Azulim Gabarito Uberlândia

O clima de jogo com a participação deles é uma das melhores partes. Teremos que nos adequar a ficar sem o incentivo extra das arquibancadas, o que força os atletas a aumentarem o nível de alerta e concentração dentro de uma partida. Acredito que ser estreante na competição não seja um peso para o time e, sim, um incentivo maior para buscarmos desempenhar um excelente trabalho. Apesar de ser estreante na Superliga, o Vôlei Uberlândia é um veterano no cenário nacional. Sabendo da qualidade do campeonato, essa motivação, junto com toda a preparação, será importante para o desempenho esperado na temporada”, observa. A Revista Cult também perguntou aos treinadores como está a preparação das equipes e quais serão os grandes adversários em quadra e os desafios fora de quadra para a temporada.

Paulo Coco (Dentil Praia Clube)

Treinador Paulo Coco (Dentil Praia Clube)

“Tem sido gratificante o retorno aos treinos neste momento tão atípico no qual todos nós estamos inseridos. Muitas adaptações em nossa rotina diária, com vários cuidados para que a gente possa desempenhar o trabalho com extrema segurança, com uso de máscara, álcool em gel 70% à disposição, distanciamento, grupos reduzidos e higienização da quadra no pré e pós-treino. Preparação forte e com bastante zelo para enfrentarmos uma longa e árdua temporada. É muito importante manter um time-base de uma jornada para outra. Graças a Deus, o trabalho longevo tem proporcionado resultados expressivos e, consequentemente, uma repercussão positiva para darmos sequência no processo de amadurecimento de ideias e conceitos. Para a temporada 20/21, fizemos quatro contratações pontuais para elevar ainda mais o excelente nível do nosso elenco. Com certeza, as contratadas vão agregar muito valor para buscarmos os objetivos em cada disputa. É uma competição muito importante, que vai até suprir a lacuna deixada pela não realização dos playoffs da Superliga 19/20. Sem dúvida alguma, o torneio dará uma boa preparação visando a edição 20/21 da maior competição do voleibol brasileiro. Ademais, proporcionará um retorno midiático aos nossos patrocinadores. Será também uma oportunidade de testarmos o modelo ‘bolha’, ou seja, experimentarmos uma situação nova para todas as agremiações participantes”, considera.

Manoel Honorato (Azulim/Gabarito/Uberlândia)

Treinador Manoel Honorato (Azulim/Gabarito/Uberlândia)

“O Azulim/Gabarito/Uberlândia virá com uma equipe montada na base de um conjunto familiar muito grande, muitos atletas têm 22, 23 e 24 anos, muitos deles
jogaram juntos no Minas Tênis ou no Sesi de São Paulo, muitos fizeram parte da Seleção Brasileira sub-19 e sub-21 e foram incorporados a um projeto que existe em Uberlândia há aproximadamente 21 anos, a Academia do Vôlei. Montamos uma equipe competitiva, por isso acredito que temos plenas condições de nos manter na elite do voleibol nacional. Todas as equipes que disputarão a Superliga estão bem preparadas, algumas com investimentos bem superiores, mas estamos preparados”, revela. Doze equipes masculinas, sendo quatro de Minas Gerais, e doze equipes femininas, sendo duas de Minas Gerais, disputarão as competições da Superliga, antes, no entanto, disputarão os campeonatos estaduais e o Dentil Praia Clube. Também antes da Superliga disputará o Troféu Super Vôlei.

 

 

 

 

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.