Um abraço em forma de música!

ALMANAQUE MÚSICA

Sabryna Moreno
Foto Guilherme Araújo

Por meio do som acolhedor de ‘Drop The Rope’, a banda mineira Berilo emana paz e resiliência.

A vida é como um mar e nós somos os navegantes. Aprendemos, seja com o caos da tempestade ou com a calmaria da maré baixa, que nem sempre as coisas acontecem como queremos ou planejamos. E se somos todos marinheiros, vivendo juntos, no mesmo barco e no mesmo oceano, pode ser que compartilhemos também os nossos medos e angústias. Em meio a tempos difíceis, a banda uberlandense Berilo sentiu que deveria compor uma canção que pudesse representar esses sentimentos. ‘Drop The Rope’ é concebida como um desabafo pessoal, mas nasce com a missão de acolher os corações de outras pessoas. Não é de hoje que a Berilo se dedica em entregar um conceito de rock inovador ao público – o que chamam de new rock -, mas o momento atual surpreendeu e mudou o rumo que a banda vinha seguindo desde o lançamento do EP de estreia, ‘Inner Space’, em abril de 2020. Os trabalhos anteriores revelavam uma sonoridade mais agitada, bastante diferente do que entregam agora. De qualquer forma, a mudança de estado emocional se tornou um problema coletivo logo no início da pandemia.

O ano tirou o equilíbrio que ainda nos restava e, no lugar, depositou aflição. Assim, nossos corações suplicaram por motivos para cultivar energias positivas. ‘Drop The Rope’ chegou, em agosto, como um abraço que tanto nos falta em tempos de distanciamento social. Através das palavras, a canção nos convida a refletir sobre a importância de “soltar a corda”, aceitar que nem tudo está ao nosso alcance e deixar o mar escolher o destino. É claro que não é fácil ser resiliente em tempos tão dolorosos, mas o afeto salva… e a música também. A sonoridade acústica e suave da faixa foi alcançada graças à criatividade de toda a banda e ao cuidado do produtor musical Beto Rosa. As melodias instrumentais de ‘Drop The Rope’ vêm, basicamente, de violões de nylon, um kit percussivo que inclui uma mala e um molho de chaves, e um baixo para reproduzir um som que lembra a buzina de navio. O resultado é o single que está disponível para audição em diversas plataformas de streaming. O lançamento veio acompanhado de um clipe cheio de sensibilidade, bem do jeito que a canção merece. Todos os registros foram feitos pela própria banda, de forma totalmente independente, e representam, com muita delicadeza, a essência do afeto entre as pessoas – seja o amor romântico, o amor próprio ou o amor em família. Em 40 dias, o vídeo já foi assistido quase 2.000 vezes no YouTube.

A nova canção tem algo de muito especial para Isa Pimenta (vocais), Paulo Machado (guitarra) e Cláudio Rocha (bateria) – não somente como os artistas que fazem a Berilo acontecer, mas como as pessoas que são. “Quando ‘Drop The Rope’ nasceu, e vimos o quão diferente ela era das nossas outras músicas, percebemos que era a oportunidade perfeita para mostrar um lado nosso muito mais vulnerável para as pessoas. Foi assim que conseguimos ficar mais próximos das pessoas que nos acompanhavam, nos shows e online, mostrando que elas não estavam sozinhas”, lembra Paulo. É bom saber, por meio de obras como essa, que a música mantém seu poder de transformação. Como pensa a Berilo, “estamos todos juntos nesse barco, ainda sem direção certa. Sendo assim, cada movimento dos nossos corpos representa um milagre contínuo. Estamos vivos e precisamos, imediatamente, soltar a corda. Para levar essa mensagem de empatia até onde for possível, ‘Drop The Rope’ deixou de ser da Berilo e passou a ser de todo mundo que precisasse”.

Isa Pimenta, Paulo Machado e Cláudio Rocha: “Drop The Rope chegou como um abraço que tanto nos falta em tempos de distanciamento social”.

Banda Berilo
Contato: 34 99872-0332
Redes sociais: @oficialberilo

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.