Maternidade em tempos de Coronavírus

Todos nós estamos preocupados com quem amamos, mas ninguém ama e se preocupa como uma mãe

Foto: banco de imagens

As mães, desde muito cedo, perdem noites de sono e várias horas do seu dia a dia para cuidar e zelar por suas crianças. Estar no meio de uma pandemia e crises de saúde mundiais, só acrescenta fatores para a preocupação das mães mundo afora. Não importa a idade do filho, se já é um adulto ou se a mãe é gestante, todos eles possuem alguém que está preocupado com sua segurança.

Quando o(a) filho(a) já está na fase adulta, não há muito o que se fazer. As recomendações são as mesmas para todos. Mas quando o assunto são os pequenos, há muitas dúvidas e questionamentos não respondidos, já que é uma doença relativamente nova e sobre a qual não se tem todas as respostas ainda. Essa falta de informações seguras pode ser desgastante.

Por isso, dar  a devida atenção ao que está sendo de fato pesquisado ou testado é de extrema importância. A Professora Silvana Maria Quintana, do Departamento de Ginecologia e Obstetrícia da Universidade de São Paulo (USP) e Coordenadora Científica em Obstetrícia da Associação de Obstetrícia e Ginecologia do Estado de São Paulo (SOGESP), escreveu uma matéria esclarecendo algumas dúvidas recorrentes.

Todas as recomendações à população geral se aplicam também às gestantes, mas devido à delicadeza do período, algumas questões se mostram mais complicadas quando se está grávida ou com um bebê recém-nascido. Primeiramente, é importante continuar com o acompanhamento pré-natal e com a programação das vacinas, tomando as devidas precauções e cumprindo as recomendações médicas e condutas adotadas pelas instituições de saúde. 

Ainda não há casos confirmados do vírus sendo transmitido via uterina ou por meio da amamentação, inclusive há estudos que afirmam que esse tipo de contaminação não acontece, mas a proximidade do cotidiano ainda é perigosa para o bebê no caso da mãe ser diagnosticada positivamente.

No geral, os hospitais, maternidades e outras instituições de saúde adotaram novas medidas e abordagens para não prejudicar o andamento de processos e atendimentos essenciais e inadiáveis, como acontece, por exemplo, no Hospital Júlia Kubitschek, em Belo Horizonte.

Para as mães e pais de crianças maiores, além de todo o estresse da situação atual, provavelmente também estão tendo que lidar com uma nova realidade em relação aos filhos durante a quarentena, sem aulas ou creche presenciais ou potenciais ajudas de terceiros no dia a dia. Nesses casos, a sugestão é criar uma nova rotina para todos em casa: com atividades e deveres, mas também momentos de lazer e cuidado.

As professoras da UFMG e UFSCAR Regina Helena V. T. Joaquim e Lívia C. Magalhães, em um esforço colaborativo para tornar essas e outras informações acessíveis para um público maior, produziram um material com um guia mais visual para ser distribuído neste período de desinformações.  Mamães, papais e cidadãos em geral, se cuidem. A nossa saúde e a do próximo dependem das nossas atitudes.

 

Por Communicare Jr. | Gabriela Pina 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.