Oportunidade de novos negócios e-commerce

Em 2019 a perspectiva de aumento para o varejo em 2020 era de 21,3%, porém com o distanciamento social aumentou o número de compras do consumidor

Foto: Arquivo de Imagem.

Mesmo com o comércio fechado, o consumidor final não deixa de adquirir produtos, afinal tudo que se precisa pode ser comprado pela internet e com taxa de entrega grátis, sem sair de casa. Em 2019, o valor de vendas de bens e serviços online na América Latina fechou em mais de 150 milhões, a perspectiva de aumento para 2020 era de 21,3%, segundo os dados da Crunchbase. 

No Brasil essa perspectiva era ainda maior. Segundo o estudo do Euromonitor e PayPal, o mercado do e-commerce sairia do patamar de R$19,5 bilhões para R$28 bilhões, que corresponderia a um aumento de 43,5% na vendas e lucro. Entretanto, com o isolamento social, os hábitos de compra do brasileiro mudaram drasticamente, chegando a adquirir qualquer tipo de produto pela internet, desde produtos do setor alimentício, lazer e têxtil. 

De acordo com um estudo da Compre&Confie que compara o período de 24 de fevereiro a 24 de maio de 2019 no mesmo intervalo em 2020,  esse hábito ganhou uma força tão expressiva que o e-commerce cresceu 71% só no primeiro trimestre de 2020, faturando R$27,3 bilhões. O estudo ainda diz que esse aumento na cifra está diretamente relacionado ao maior número de compras realizadas durante o período, sendo ao todo, 68,9 milhões de compras realizadas, um aumento de 82,1% em relação a 2019. 

Entretanto, mesmo que os brasileiros estejam comprando mais, as compras estão sendo mais cautelosas. Por exemplo, o tíquete médio, que é o indicador de performance de vendas e ao valor gasto em uma compra, permaneceu em R$395,80 e esse valor é 6,1% menor em comparação ao mesmo período no ano passado. 

Assim, é perceptível que esse comportamento revele que há mudanças nas prioridades de compra durante a quarentena. Como por exemplo, o consumidor está fazendo compras recorrentes de itens mais baratos e de necessidades básicas. 

O estudo analisa o crescimento e variação de acordo com as categoria: Cartões-presente (+610%), Alimentos e Bebidas (+222%), Instrumentos Musicais (+187%), Brinquedos (+170%) e Papelaria (+159%) ocuparam a liderança no período. No entanto, atualmente em uma análise individual de produtos líderes em crescimento de mercado, os mais vendidos foram:  Gel Antisséptico (+14221%), roupas íntimas para crianças (+6922%), Pijamas (+3874%), Toalha Infantil (+3791%) e Toalha de Mesa (+3574%). Por isso, as empresas estão se adaptando a um novo tipo de varejo, o e-commerce já estava tomando forma e o isolamento social só acelerou o processo. 

Por Communicare Jr. | Gabriela Costa

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Utilizamos cookies e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Políticas de Privacidade e Termos e condições, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.