Asas à imaginação 

Carlos Guimarães

Fotos Divulgação

O premiado musical ‘Vamos Comprar

Um Poeta’ chega a Uberlândia em abril.

Quando há quase três anos, o musical A Gaiola veio à cidade, os pais saíram do teatro mais empolgados que as crianças. O espetáculo, baseado na obra da escritora Adriana Falcão, falava de amor para crianças e adolescentes, mais precisamente de amor sem possessividade. Depois disso, a diretora carioca Duda Maia e o produtor Bruno Marioz, resolveram continuar tocando no mesmo assunto e montaram outro musical, Contos Partidos de Amor, dessa vez com leveza e alegria de outro desdobramento do amor, o ciúme. E, por fim, a dupla agora fecha a trilogia amorosa com Vamos Comprar um Poeta, montagem que acabou de ganhar o cobiçado prêmio APCA (Associação dos Produtores e Críticos de Arte) como Melhor Espetáculo Infanto Juvenil e chega ao Teatro Municipal de Uberlândia nos dias 17 e 18 de abril. Aqui, o amor se manifesta por meio da arte. Em Vamos Comprar Um Poeta a ação se desenrola do jeito que as crianças gostam. E os pais também se divertem com a trama e saem emocionados e reflexivos do teatro. Ele fala sobre família. Sobre os valores dentro da família e o significado que a arte pode ter para ela. Os protagonistas desta história resolveram ter um poeta. Nada de animal de estimação, cachorro, gato ou hamster. A família do espetáculo, inspirado no livro homônimo de Afonso Cruz, decidiu acolher um artista. E com a arte é que o novo morador transforma a estrutura daquela casa e evidencia o poder da cultura no dia a dia.

O musical conta a história desse lar onde moram um pai, que só pensa em ganhar dinheiro; uma mãe, que organiza todos os dias os trabalhos domésticos; uma menina esperta e curiosa, que gosta de entender o significado das coisas; e um menino, que adora fazer contas. São as crianças que conduzem a narrativa e apresentam ao público o tal poeta. Juntos, descobrem outro mundo. “É um lugar que é onírico, é poético, uma forma mais bela de ver o mundo e poder transformar o dia a dia de uma família. Como é uma família que sempre pensa no que é produtivo, o artista parte dessa ideia de que a ciência é criação, é criatividade. Essa arte é economia e gera emprego. Ele junta a ideia de economia e cultura e conta história com poesia, fala de abraço e borboleta. Revela que criação não é só coisa de artista, mas de qualquer pessoa, mostra esse lugar de um artista que vai além da profissão e que acho muito importante”, explica a diretora Duda Maia. O primeiro espetáculo da trilogia, A Gaiola, esteve em Uberlândia em abril de 2017. Foi um grande sucesso de público, ao ponto de várias pessoas pedirem o seu retorno. Talvez retorne algum dia, mas, por agora, melhor foi trazer o Vamos Comprar Um Poeta, peça fresquinha, que acabou de sair do forno e já tem várias indicações a prêmios. O fato de ter ganho o APCA só sinaliza que deve vencer em várias dessas indicações. A ideia inicial era trazer o segundo espetáculo da trilogia, o Contos Partidos de Amor. Mas, optou-se pela montagem mais recente da produtora. Na cidade, a iniciativa é abraçada também pelo Encontro Literário do Cerrado, o Elicer, que estará acontecendo nos mesmos dias no pátio do mesmo Teatro Municipal. Seguramente, será um momento especial para a criançada. O acesso a um universo literário rico e diverso, culminando na encenação musical de uma história que fala de arte e poesia florescendo dentro da família. As apresentações abertas ao público acontecem no sábado, dia 18, a partir das 16h. Na véspera, sexta, dia 17, haverá sessões exclusivas para as escolas interessadas. Mais informações pelo telefone (34) 9 9866-1727.

 

Crédito

Carlos Guimarães Coelho é jornalista e produtor cultural.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

%d blogueiros gostam disto: