Quarentena também pode afetar a sua pele

Especialista dá dicas de como cuidar e evitar problemas na pele neste período

Ficar em casa é uma medida preventiva necessária para o cuidado de todos, pois dessa forma evitamos que o vírus se espalhe e aceleramos o processo de descontaminação. Toda essa situação pode afetar negativamente a nossa saúde física, incluindo a nossa pele. Mas então, como cuidar da pele em período de isolamento social?

A Fisiologista, educadora física, tecnóloga em estética e cosmética e professora do Centro Universitário Una, Maria Raquel Borges, explica que são várias as formas desse período afetar a pele. “Muitas pessoas acreditam que durante o isolamento social a pele ficará melhor, pois não ficarão expostas ao sol e poluição, terão mais tempo para se dedicar a rotina de cuidados e uma necessidade menor de usar maquiagem. Embora ficar em um ambiente interno possa ajudar com uma parcial proteção aos raios UV, também pode ter um impacto negativo na saúde dermatológica. Isso porque passar mais tempo em ambientes fechados como a nossa casa traz mudanças em nossas dietas, níveis de atividade físicas e saúde mental”, explica.

Veja o que pode estar causando problemas de pele durante o isolamento e como reverter o cenário:

Máscaras de proteção – O uso da máscara facial como uma das formas de prevenção ao contágio e para evitar a proliferação do coronavírus tornou-se obrigatório em vários estados. Nas redes sociais é possível encontrar imagens de pessoas com a face marcada pelo uso frequente e prolongado do equipamento de segurança. São, geralmente, profissionais da área de saúde, mas, além deles, outros trabalhadores apresentam pequenos problemas, como irritações, e, mais comumente, incômodo nas orelhas, o que pode ser resolvido com o ajuste dos elásticos. Há pessoas que usam maquiagem por baixo das máscaras e os resíduos da maquiagem ficam presos na trama da máscara, prejudicando a filtragem de partículas do ar, podendo comprometer a capacidade de reter os patógenos como bactérias e vírus, entre outros, inclusive o coronavírus. A máscara pode aumentar a oleosidade cutânea, favorecer o surgimento de acne e dermatite seborreica e até exacerbar a rosácea, por isso, o recomendado é usar a máscara com a pele limpa, sem maquiagem, independentemente de ser base, pó, blush ou batom. O uso de máscaras, também, pode obstruir os poros e desidratar a pele. Portanto o cuidado com a hidratação e assepsia da pele  devem ser redobrados.  

Alimentação – Quanto mais tempo passamos em casa, maior a vontade de comer durante o dia. Se a alimentação inclui alimentos processados, laticínio ou carboidratos, isso pode contribuir para a piora de acne. O consumo de álcool, que aumentou neste período, altera o equilíbrio hormonal, tornando mais propenso o aparecimento de vermelhidão e inflamação. Portanto, é recomendado comer o máximo possível de grãos integrais, vegetais, frutas e proteínas. Não se esqueça da hidratação, e beba pelo menos 2 litros de água por dia.

Atividades físicas – A diminuição do nível de atividade física enquanto permanece em ambientes fechados pode levar a uma menor circulação. Por isso, para se manter ativo, use aplicativos de treinos com aulas em vídeo que funciona como um aliado para quem deseja se exercitar em casa. Praticar atividade física é fundamental para a produção de hormônios importantes para o seu bem-estar, felicidade, satisfação e autoestima. E melhora na oxigenação cutânea, promovendo hidratação, produção de colágeno.

Estresse A conexão entre a pele e o estresse é real. O estresse leva ao excesso de níveis de cortisol e à superprodução de citocinas inflamatórias, o que aumenta a inflamação na pele e leva a condições como acne, rosácea, eczema e psoríase. E o que não falta neste período é estresse. Atividades de combate ao estresse no seu dia a dia, como meditação e ioga podem ajudar a manter a calma.

Cuidar da saúde emocional, uma vez que quando entramos em um nível de estresse existe liberação de adrenalina e cortisol. Essa alteração causa a aceleração dos batimentos cardíacos, dilatam as pupilas, aumentam a sudorese e os níveis de açúcar no sangue, reduzem a digestão, diminuem a libido e, por fim, reduz as defesas do organismo. Por outro lado, existem hormônios que, quando alterados, podem desencadear a depressão.

Por isso, opte por uma mudança de comportamento que te ajudará a ter uma mudança de pensamentos. Procure ler um livro, cozinhar aquelas receitas que nunca temos tempo para fazer, pratique alguma atividade física, procure conversar com alguém ou profissionais terapeutas, psicólogos e psiquiatras sobre as emoções.

Sono irregular – Muita gente tem dormido pouco por ansiedade e preocupação com a pandemia. Ou mesmo a falta de rotina tem feito muitos ficarem acordados até muito tarde ligado em redes sociais, notícias, maratonas na Netflix. A falta do sono regular impede a produção de sais minerais essenciais para a manutenção de uma pele saudável, o sono ruim promove o envelhecimento precoce.

Claro que há coisas que não tem como evitar. Mas entre as que estão no nosso controle, já falei aqui que vale reduzir o consumo de notícias sobre covid-19 além do necessário. E também praticar um hábito de higiene do sono, que inclui sair das telas pelo menos uma hora antes de dormir (melhor ler um livro nessa hora), abaixar as luzes ao final do dia e até mesmo o uso de óleos essenciais como o de Lavanda para fazer aromaterapia podem ajudar a melhorar a rotina da noite.

Cuidados diários com a pele – O uso diário do protetor solar é indispensável até mesmo dentro de casa, pois as luzes artificiais (celular, TV, lâmpada e computador) emitem radiações que podem causar manchas, envelhecimento precoce e até câncer de pele. Pessoas que sofrem de melasma devem dar atenção especial a este item, pois a luz destes equipamentos é extremamente prejudicial e pode agravar ainda mais as manchas.

Além disso, não deixe de lado a rotina de limpeza e cuidados. Limpar, tonificar, hidratar e proteger são cuidados básicos com a pele que devem ser mantidos no período de quarentena.

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *