CASAMENTO, TRAIÇÃO E O AMOR

Résia Morais | Psicóloga

O AMOR É UM GRANDE DESAFIO,

A RELAÇÃO A DOIS UM GRANDE PRIVILÉGIO

Nestes 10 anos de prática clínica, a traição no casamento foi um dos grandes temas discutidos em sessão. O Casamento é uma vocação muito específica. Casar é a busca de prazer e felicidade através de um comportamento altruísta, ou seja, comportamento de compaixão, negação e de múltiplos desafios. Quando duas pessoas resolvem se casar, é preciso muita maturidade para lidar com o erro do outro em momentos de raiva e desgaste. Ainda que os motivos que levaram à traição sejam bem conhecidos por todos nós, uma coisa é clara, ocorre pelo simples fato de alguém não se sentir bem com o cônjuge, o que, obviamente, não é novidade para ninguém, entretanto, em uma grande parte das vezes, a culpa recai quase que exclusivamente sobre as faltas exibidas pelo parceiro ou parceira. Quando encontramos a pessoa que gostamos e achamos que é a pessoa correta e estabelecemos um casamento, isso é uma das grandes alegrias da vida humana. Tudo parece sorrir, tudo parece simpático, tudo parece indicar um futuro à frente, tudo parece estar bem quando amamos e somos amados. Esse é um grande privilégio, porém com o passar dos anos, vamos descobrindo que há problemas, que a pessoa amada não é tão perfeita com supúnhamos, que temos dificuldade de relação, que o desejo diminui e a vontade de estar junto também diminui. É neste momento que o casal precisa reavaliar a relação, buscar aquela vontade de crescer juntos, de construir história, e não jogar sobre a pessoa que está com você a responsabilidade sobre os seus medos e fracassos. Não culpar sua família, sua mulher, seu marido, não dizer que não cresceu por causa dele(a), ou que não foi adiante porque ele(a) te bloqueou. O que muita gente ainda não se deu conta é que a Traição, na verdade, revela uma inabilidade pessoal de lidarmos com os nossos problemas mais íntimos. O Amor é um grande desafio, a relação a dois é um grande privilégio, e precisa de um cultivo constante, metódico, e ter a vontade de produzir alguma coisa juntos. Deste modo, o casamento só dará certo se você propuser se desafiar todos os dias em se desenvolver e fazer acender o casamento. Portanto, tudo é questão de escolha, a traição é questão de escolha, casar ou ficar solteiro é questão de escolha, e escolher ficar juntos é simplesmente acreditar e fazer diferente. Se, eventualmente, você perceber que está legitimamente insatisfeito – o que é absolutamente normal, pode acontecer -, faça alguma coisa. Mude sua vida pela porta da frente, não assumindo alternativas paralelas que, momentaneamente, podem servir de remédio para sua infelicidade.

 

Résia Silva de Morais, CRP-MG 04/31203, Doutoranda em Ciências – UFU. Profª. Psicóloga Clínica em TCC e Psicopedagoga – UFU, Especialista em Terapia Familiar e Hospitalar, Mestre em Psicologia da Saúde – UFU. resiamorais@gmail.com

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *